MUITOS SÃO CHAMADOS, MAS POUCOS, ESCOLHIDOS

No Evangelho de Mateus capítulo 22, versículo 14, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos fariseus: Muitos são chamados, mas poucos, escolhidos.
Então muitos dirão: Porque o Senhor não salva a todos, mas apenas um pequeno número dentre os chamados, se a palavra declara (Atos 10.34) que Deus não faz acepção de Pessoas? E no livro de João 3.16, Jesus disse que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna
Para entendermos melhor o porquê poucos serão escolhidos, vamos meditar na palavra do Senhor Jesus, Evangelho de Mateus 7.21, onde Ele disse: Nem todo que diz Senhor, Senhor, herdará o Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade do meu Pai que está no Céu.
Agora já temos um indicativo do caminho que verdadeiramente conduz a salvação: Primeiramente se faz necessário ouvir a voz do Senhor Jesus quanto ao chamado, e fazer a vontade do Deus Pai que está no Céu.
E como podemos ouvir a voz do Senhor Jesus? No livro de Apocalipse 3.20, Ele disse: Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo.
O Senhor Jesus, está batendo em sua porta, falando em seu coração, não deixe-O do lado de fora, ouça a voz do seu Espírito Santo, abra o seu coração e deixe-O entrar, e você vai cear com Ele, vai participar da alegria de ser o seu servo, Ele irá fartar a sua fome e saciar a sede do seu espírito. Vai lhe dar muita paz em seu coração e a vida eterna para você e a sua casa. Jesus vai te revelar coisas grandes e firmes que não sabes. Creia verdadeiramente em Jesus Cristo como único Senhor e Salvador da sua vida e serás salvo, tu e a tua casa. Isto sim, é ouvir o chamado do Senhor Jesus.
Porque quando abrimos o coração, o Espírito Santo de Deus realiza um trabalho íntimo na alma humana, é pessoal e todo desejo de santificação é nutrido por Ele. Cada impulso para o bem e para a verdade é implantado por Ele. Seu trabalho é indispensável à convicção, ao arrependimento e conversão para a salvação da vida eterna.
O Senhor Jesus ainda adverte que para herdarmos a vida eterna é indispensável entrar pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida eterna, e poucos há que a encontrem, porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos.
Entrar pela porta estreita é renunciar as obras carne, as quais são: Prostituição, impureza, lasciva, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias (contenda, rivalidade, disputa), ciúmes, vaidades, iras, discórdias, facções, inveja, bebedices, glutonarias, mentiras, vícios e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais o Senhor antecipa que não herdarão o Reino de Deus os que tais coisas praticam, porque esse é o caminho largo que conduz a perdição.
Jesus declarou também que para que sejamos um dos seus escolhidos é imprescindível fazer a vontade do Pai, a qual é viver em santidade e participar do fruto do Espírito que é: Amor, paz, alegria, benignidade, caridade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contras estas coisas não há lei e os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões infames e cobiças pelo pecado.
Na palavra de Deus, não há fundamento para que possamos formular cálculo de porcentagem dos escolhidos entre os chamados, na vinda do Senhor Jesus para arrebatamento da sua igreja, entretanto há alguns exemplos clássicos no Antigo Testamento, que servem de sombra para nossa apreciação e meditação. Basta observar o capítulos 6 e 7 do livro de Gênesis, por ocasião do dilúvio, quando o Senhor Deus viu que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era maldade continuamente.
Então, arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração. E disse o Senhor: Destruirei o homem de sobre a face da terra. Noé, porém, foi agraciado aos olhos do Senhor porque era justo. Então, disse Deus a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de mim nesta geração. E salvaram-se Noé, sua esposa, os três filhos com as respectivas esposas, ou seja, de toda a população da terra, apenas oito pessoas foram poupadas por Deus, porque eram justas.
Outra alusão bíblica que autentica a questão que os escolhidos do Senhor serão pouquíssimos realmente, é relatado também na antiguidade, capítulos 18 e19 de Gênesis, período em que o clamor do pecado do povo subiu a face do Senhor e não houve outra deliberação a não ser a destruição das cidades de Sodoma e Gomorra pelo fogo e enxofre devido ao agravamento do pecado daqueles povos pela promiscuidade e violência. Numa região onde habitava milhares de pessoas, foram resgatados apenas Jó, sua esposa e duas filhas. Porem, ao apartarem-se em retirada, a esposa de Jó olhou para traz e foi convertida numa estátua de sal
A palavra relata ainda que dos seiscentos mil homens do povo de Israel, acima de 20 anos que foram libertos da escravidão do Egito pelas mãos poderosas do Senhor Deus, apenas Josué e Calebe herdaram a terra prometida, porque Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto.
Tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.
O conhecimento da verdade nos dá a certeza que para estarmos entre os poucos escolhidos na vinda de Cristo não basta apenas ser membro de uma organização religiosa, cumprir os rituais e doutrinas da igreja e contribuir financeiramente, como se fosse possível subornar a mente de Deus. Não basta apenas absorver a palavra literária, é preciso muito mais que tudo isso, é indispensável que a mensagem da cruz entre no seu coração e venha gerar o arrependimento, a conversão, o nascer da água e do Espírito, tornando-se uma nova criatura lavada e remida pelo sangue do cordeiro inocente.
Evangelho de Lucas 12.32, disse Jesus: Não temas, ó Pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o Reino do Céu.
CONCLUSÃO: Que Senhor esteja abençoando a todos abundantemente